terça-feira, 17 de agosto de 2010

Nauseabundo

Corcunda
Desmazelada
Moribunda
A fugir pela calada
Das ruas, oriunda
Morta numa cilada
Mais uma vida acabada...
Por nada!

Rezingão
Stressado
Matulão
Esganado
Perseguido pela multidão
De sentidos capado
Arrastado com brusquidão
Pelo furor de uma bala atravessado
Faz favor? É mais um caixão!

Olhos esverdeados
Sentidos apurados
Mágoas dispersas
Brutalidades adversas
E uma vida sem finalidade
Caída na mediocridade
Dum mundo sem saída
Deixou-se explodir, foi-se mais uma vida
O verde do olhar que jorra sangue em ferida...

Esbelta corrida para o metro
Contra as horas, os minutos e os segundos!
Eis que é vítima em tempo incerto
Dum atentado vindo doutros mundos
Doutras cabeças possuídas por cortiça
Onde paira o sabor a dinheiro
A raiva, o egoísmo e a cobiça!
Chiça!

Mais um assassinato, mais um corpo pulverizado
Uma paga por trabalhos de droga mal feitos
Um dia que acabou muito mal acabado
A subordinação da polícia por parte dos suspeitos
Orgulho ferido num homicídio qualificado
Um oficial de justiça caído em preceitos
Por vingança de um irmão não conformado!
Até a justiça padece de defeitos...

Sangue!
Luta no seio de um gang!
E é só sangue!
Que jorra e flui arduamente
Que me enoja
Que enche a rua de um nausear demente
E eu sou levada pela espessa corrente
Tirem-me! Tirem-me daqui...

31 comentários:

  1. Eu notei pela escrita (:
    Obrigada, acho que ninguém quer crescer

    ResponderEliminar
  2. Talvez, mas eu nao quero crescer por causa disso. Eu simplesmente nao quero pq a maioria das pessoas quando tem a nossa ideia defende uns ideais e afirma q vai fazer de tudo para fazer o q gosta e dps tornamo-nos uns cobardes, nem sempre por nossa culpa.

    ResponderEliminar
  3. Eu acho que simplesmente as pessoas caem no conformismo.

    ResponderEliminar
  4. Revoltada nunca! Revolucionária, sim! ahahaha

    ResponderEliminar
  5. no principio sim, mas a revolta so gera mais revolta e so puxa negatividade e maus sentimentos, por isso deixei-me disso e tentei simplesmente construir aquilo em que acredito sem me importar com o resto, e sempre q posso ponho em pratica.
    isso agora xD

    ResponderEliminar
  6. Eu nao os ignoro, mas mudei a forma como os via. Pq da forma q eu tava ainda acabava a suicidar-me ou no manicomio -.- ha demasiadas coisas mas para ligar-mos a tudo, temos que tb saber ver e ponderar o que sentimos e tornar isso numa coisa mais util

    ResponderEliminar
  7. Todos fazemos a diferença pelo bem ou pelo mal fazemos, e todos somos sempre lembrados, nao somos poucos, simplesmente ha muita coisa para fazer.

    ResponderEliminar
  8. obrigado pelo comment:)
    gostei muito deste poema Adriana!
    escreves mesmo muito bem! ;)
    também vou fazer um, inspiraste-me :)
    continua ;)

    ResponderEliminar
  9. As vezes queria estar desnorteado para a conxixina!

    ResponderEliminar
  10. eu so precisava dumas ferias das confusao que ta a minha vida -.-

    ResponderEliminar
  11. Eu nao tenho como resolve-los so o tempo e quem sabe a força de vontade ajude... obrigada, o mesmo te digo!

    ResponderEliminar
  12. Obrigada (:
    Nao sou eu que tenho de a ter, quero dizer ajuda se eu tiver, mas é mais uma tarefa para outra pessoa. LOL eu nao quero flr disto por aqui xD eu ja te explico

    ResponderEliminar
  13. Mas enquanto nao vao a unica vontade é de dizer: " Tirem-me! Tirem-me daqui... "

    ResponderEliminar