quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Insónia

Apresentou-se a manhã trazendo uma brisa citadina
Juntam-se carros em fila, sem apreço
Rendo-me a esta sonolência que me domina
Cerro os olhos e quase adormeço

Não consegui pregar olho toda a noite
A inspiração resolveu ser insolente
Necessitada de um açoite
Para desalapar da minha mente
Que raios!

Deixa-me sonhar
Vai incomodar para outros lados
Deixa-me em dormência viajar
E ajuda a magia a chegar aos namorados
Porque eles precisam de se expressar...

De escrever poemas tocantes
De compor canções ao pôr-do-sol
De trazer emoções vibrantes
De fazer serenatas em si-bemol!

Percebeste a grandiosidade da tua missão?
Sentes-te consagrada?
Então vai-te embora inspiração
Deixa-me dormir descansada!

5 comentários: