quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Verde teu

Relva doce
De um verde teu.
Chocolate negro
De um olhar, o meu.

Belos são os dias
Com o teu abraço forte e apertado
Aprazíveis, tão vivaças as folias
De um amor por nós consumado.

Não largues.
Não hoje,
Nem amanhã.

Transborda-me em alegrias de sobejo
Sob melodia nos fados dos corações
Mima-te no carinho do meu beijo
Na tinta indelével das minhas declarações
E agarra-te,
Perto,
Bem perto,
Tão perto
Do meu leque de emoções.
Regozija-te.

Fica,
Pernoita então.

Entrelacemos os sonhos e as novelas
Sem vestir um véu ciano de fugacidade
Caminhemos de dedos cônjuges pelas ruelas
Desta tão nobre e linda cidade.

9 comentários:

  1. De mim? Ahaha nao faço ideia, devo tar perdida xD
    E de ti?

    ResponderEliminar
  2. Nao diria desde outubro :o
    Talvez desde sempre xD
    Opa eu ontem sempre q escrevia fuck sai-me funck, é a droga pa xD

    ResponderEliminar
  3. entendo.
    a mim não é uma dor, é raiva mesmo e ódio.

    ResponderEliminar
  4. engraçado como posso sempre dizer-te o mesmo. está tão lindo!

    ResponderEliminar